Notícias

Como ensinar a seu filho o valor do dinheiro


Visão Net

Educar um filho para ser “financeiramente alfabetizado” não precisa ser difícil

Foto: SAWITREE PAMEE / EYEEM VIA GETTY IMAGES
Não deixe o dinheiro ser "invisível" para seus filhos

Em um mundo de cartões de crédito, internet banking, alíquotas fiscais, investimentos e planos de aposentadoria, cuidar do dinheiro pode ser difícil até para adultos, o que dirá para crianças.

Os muitos pais que querem ensinar seus filhos a compreender ideias econômicas e prepará-los para lidar com seu futuro financeiro têm uma pergunta: por onde começar?

Pedimos a especialistas financeiros que explicassem as melhores maneiras de ensinar às crianças sobre o valor do dinheiro. Veja quais foram seus conselhos:

 

Não deixe o dinheiro ser "invisível" para seus filhos.

Chris Whitlow, CEO da Edukate, provedora de bem-estar financeiro, descreveu o dinheiro como "uma questão emocional" e "um esporte de contato".

"É como se você lesse textos acadêmicos sobre futebol americano e, com base nisso, saísse para tentar jogar futebol", ele disso ao HuffPost. "Ler sobre futebol e jogar futebol são duas coisas diferentes."

Por isso é importante que os pais falem abertamente sobre as finanças, sempre que possível – por exemplo, falem de seu orçamento doméstico --, para incentivar seus filhos a fazer perguntas e ajudá-los a ficarem mais preparados para encarar seu próprio futuro financeiro. Isso significa, por exemplo, depois de usar seu cartão de débito ou de crédito para pagar por uma compra, tirar um minuto para explicar a seu filho que aquele pequeno cartão que você carrega na carteira não é fonte de dinheiro ilimitado.

Whitlow destacou também que as conversas que os pais têm com seus filhos sobre dinheiro são momentos oportunos para discutir a diferença entre "o que você necessita para viver e o que deseja".

 

Pense em deixar seu filho ter um pouco de dinheiro para usar como quiser.

Uma maneira de ensinar as crianças a lidar com dinheiro é dar um pouco de dinheiro a elas. Dinheiro vivo é um ótimo ponto de partida.

"O dinheiro vivo é um objeto palpável e visível", explicou Gwen Tulin, fundadora e diretora artística da organização Brain Arts Productions, que promove festas de aniversário, acampamentos e outros eventos que incorporam educação financeira juntamente com arte.

Ela sugeriu que os responsáveis por crianças saquem dinheiro vivo e escolham uma loja onde sempre utilizem esse dinheiro vivo diante de seus filhos.

"Isso ajuda a cristalizar a ideia do dinheiro na cabeça da pessoa", disse Tulin. "A partir disso é possível passar para conceitos mais abstratos, mas o dinheiro vivo é o ponto de partida."

Se você não se sente tranquilo em dar dinheiro vivo a seus filhos, seja criativo. Whitlow disse ao HuffPost que sua família desenhava cédulas com o rosto de uma de suas filhas. A garota ganhava as notas depois de realizar várias tarefas.

"Isso a incentivava a fazer as coisas que lhe pedíamos para fazer em casa", disse Whitlow. "Algumas delas eram coisas emocionais, por exemplo o modo como ela interagia com seus irmãos. Mas aqueles dólares tinham uma utilidade muito concreta."

Também existem opções para pais que não veem problema em deixar seus filhos administrar suas finanças com um cartão de débito. Com o aplicativo BusyKid os pais podem administrar as tarefas de seus filhos, pagar aos filhos e carregar o dinheiro num cartão Visa recarregável para as crianças usarem, de modo que são as crianças que acompanham a movimentação do saldo com cada compra que fazem e cada tarefa que cumprem.

"É como se fosse o primeiro emprego da criança e ela recebesse através de um depósito direto", disse Gregg Murset, CEO e fundador da BusyKid e planejador financeiro certificado.

A plataforma também permite que as crianças comprem participações acionárias fracionais, isto é se essa for uma habilidade que você quiser que elas dominem quando ainda são crianças ou adolescentes.

 

Não se deixe desanimar pelo jargão financeiro.

Tanya Van Court lançou a Goalsetter, uma plataforma de poupança e doações voltada às crianças, para ser uma maneira melhor de as famílias curtirem aniversários e festas de fim de ano com seus filhos sem acumular uma pilha de brinquedos de plástico que raramente são usados. A fundadora e CEO entende por que muitos pais se sentem intimidados só em começar a falar de dinheiro com seus filhos.

"Convertemos o dinheiro em um idioma estrangeiro", explicou Van Court. "401(k) (um plano de aposentadoria) e 529 (um plano de poupança para pagar a faculdade dos filhos) são termos usados quando se fala do código fiscal. Por que deveríamos querer que uma pessoa comum entenda essa linguagem?"

Ninguém transmitiu informações financeiras básicas a Van Court quando ela própria era criança, e por isso mesmo ela fez questão de passar esses ensinamentos a seus filhos. Para ajudar outras famílias a fazer o mesmo, a Goalsetter oferece um Dicionário Financeiro Urbano que explica termos financeiros e os associa a filmes, programas de TV, letras de canções e mais.

Natalia Oberti Noguera, fundadora e CEO da Pipeline Angels, que promove investimentos de capital pessoal de pessoas ricas para projetos de empreendoras mulheres e femmes não binárias, destacou que é importante apresentar as crianças a outras ideias econômicas e traçar um vínculo entre o dinheiro e a vida adulta.

"Estamos aprendendo a despertar o interesse das crianças pelo empreendedorismo", ela comentou. "Dizemos às crianças coisas como 'ei, se você se interessa por start-ups, pode arrumar um emprego e depois subir na empresa. Desse modo você vai acumular dinheiro e vai poder investir."

 

Não esqueça de explicar que o dinheiro pode ser uma ótima ferramenta para ajudar outras pessoas.

Quando falar com seus filhos sobre dinheiro, não deixe de comentar que algumas pessoas são mais privilegiadas que outras. A BusyKid incorpora uma lista de organizações beneficentes às quais as crianças podem fazer doações, e a Goalsetter explicita três maneiras diferentes em que as crianças podem classificar suas metas: poupar para o futuro, poupar para comprar coisas e pagar por experiências, e compartilhar com outros. Essa última categoria incentiva às crianças a doar para outros com o dinheiro que ganharam.

"Queremos ensinar às crianças não apenas a importância de reservar dinheiro para coisas que são importantes para elas, mas também para doar a outras pessoas que possuam pouco", disse Van Court.

Como destacou Whitlow, não existe maneira perfeita de ensinar as crianças sobre tópicos financeiros. O que se visa é "criar certo senso de atenção ao dinheiro" em seus filhos, para que eles fiquem preparados para encarar seu futuro.

 


Fonte: *Redação Cornélio Notícias, com texto originalmente publicado no HuffPost US e traduzido do inglês


Leilão outubro 2018

Comente utilizando seu facebook