Notícias

Após ser morto e enterrado, homem tem corpo retirado do caixão pelo próprio assassino


Visão Net

Tudo indica que a retirada do cadáver teria sido para demonstrar força nos grupos criminosos

Foto: Banda B
Cemitério onde o corpo foi retirado do caixão

Um caso que chocou até a própria polícia foi registrado no Cemitério do Boqueirão, em Curitiba, na terça-feira (6). O corpo de um homem que havia sido sepultado um dia antes, foi retirado do caixão, arrastado e abandonado nu, ao lado do muro do cemitério. A polícia acredita que o próprio assassino tenha vilipendiado o cadáver numa tentativa de demonstração de força entre grupos criminosos. O corpo retirado do caixão é de Mizael Teodoro da Luz, de 36 anos. Ele foi morto no sábado (3), no bairro Pilarzinho, junto com outra pessoa.

O cadáver foi encontrado nu, ao lado do muro, por funcionários do cemitério. A polícia foi chamada e descobriu que se tratava de Mizael da Luz, que tinha várias passagens por homicídio e roubo. Para a polícia, tudo indica que o objetivo era levar o corpo, mas que algo impediu a ação. Por isso, o cadáver foi abandonado.

A delegada Aline Manzato esteve no local e disse o que pode ter acontecido. “Chegamos aqui e nos deparamos com essa cena absurda. Tudo indica que o Mizael teve o corpo vilipendiado pelo Célio, chamado de Coelho, ou por alguém ligado a ele. Este Coelho teve uma participação no roubo a banco em Palmeira. A polícia acredita que ele matou o Mizael no sábado porque suspeitava que ele teria o delatado à polícia, sobre a participação no roubo a banco. Tudo indica que foi uma demonstração de força para todo grupo criminoso, mas temos que investigar para saber a real motivação e para onde queriam levar o corpo”, afirmou a delegada.

O local foi isolado e o corpo deverá novamente passar por perícia.

Celio Afonso da Silva, de 42 anos, o Coelho, é procurado pela polícia.  A Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) já sabe que foi ele o responsável pela morte de dois homens, um deles o Mizael da Luz, com tiros de fuzil, na noite de sábado (3), no bairro Pilarzinho, em Curitiba.

Testemunhas reconheceram Coelho como o autor do crime, de acordo com o delegado-chefe da DHPP, Fábio Amaro. O crime teria sido cometido porque Coelho, que é envolvido no assalto a carro-forte que terminou na morte de três inocentes em Palmeira, nos Campos Gerais, há cerca de um mês, acreditava que tinha sido dedurado pelos homens que matou.


Fonte: *Redação Cornélio Notícias, com reportagem da Banda B




Comente utilizando seu facebook