Notícias

População procopense fica chocada com assassinado brutal de trabalhador no Jardim Figueira


Brasil Net

o acusado foi preso logo em seguida

Foto: Reginaldo Tinti
O autor do crime é esquizofrênico, segundo a família

Na manhã de sábado (3), por volta das 7h30, moradores do Jardim Figueira, em Cornélio Procópio, foram surpreendidos ao encontrarem o corpo sem vida de um de seus vizinhos, o trabalhador Aparecido Antônio de Oliveira, de 59 anos de idade, também conhecido como “Cido Pedreiro”, caído na Rua dos Eucaliptos, com várias perfurações feitas por arma branca.

Aparecido foi brutalmente assinado pela pessoa de José Augusto Pereira, 38 anos, que segundo a família, sofre de esquizofrenia e passou por um surto, atacando o trabalhador com uma faca ao encontra-lo na rua, quando Aparecido saia de casa para trabalhar, sem mesmo o conhecer, deferindo vários golpes, que o levaram a morte, conforme constatou o médico da equipe do SAMU, que foi acionada, porém nada pode fazer.

Após colherem informações sobre o assassinato brutal do trabalhador equipes da Rádio Patrulha da Polícia Militar e ROTAM se empenharam em prender o acusado, que foi encontrado pouco depois portando ainda a arma do crime em um local próximo.

De acordo com informações dos familiares, José Augusto é esquizofrênico e estava em tratamento em uma clínica da cidade de Londrina, de onde fugiu, chegando a fraturar os pés ao pular os muros da intuição, conforme relataram os familiares.

Anda conforme relatos dos familiares, José Augusto usa de medicamentos controlados e teria ingerido bebida alcoólica, o que deixou o mesmo transtornado.

A PM não informou se José Augusto seria a mesma pessoa que atacou um jovem de 17 anos de usando uma faca no Conjunto União na noite anterior, deixando o menor ferido no rosto e em um das mão.

José Augusto a princípio foi encaminhado a Santa Casa para ser medicado, posteriormente ele foi levado a 11ª SDP, onde permanecesse preso.

A família do acusado e a população procopense agradeceu a rápida ação dos policiais militares, que não mediram esforços na prisão deste perigoso elemento, que poderia ter causado mais mortes na cidade.


Fonte: *Redação Cornélio Notícias, com informações do Portal Anuncifácil


Faccrei - vestibular 2019


Comente utilizando seu facebook