Notícias

Reféns foram obrigados ajudar quadrilha nas explosões de bancos em Cambará


Brasil Net

Por volta das 3h, os moradores de Cambará acordaram assustados com barulho de tiros de grosso calibre e logo em seguida, ouviram também diversas explosões

Foto: Divulgação
Os alvos da quadrilha foram cinco agências bancárias

O rastro de destruição mostra a força da violência que a pequena cidade do Norte Pioneiro do Paraná, com aproximadamente 25 mil habitantes, viveu na madrugada de terça-feira (6). Por volta das 3h, os moradores de Cambará, a cerca de 70 quilômetros de Cornélio Procópio, acordaram assustados com barulho de tiros de grosso calibre e logo em seguida, ouviram também diversas explosões.

Os alvos da quadrilha, que se aproveitou do ambiente pacato com poucas viaturas policiais, foram cinco agências bancárias. Os explosivos utilizados em três delas, sendo Bradesco, Banco do Brasil e Sicredi, que ficaram com os prédios danificados, com vários destroços espalhados pela rua. Já em outras duas, Caixa Econômica Federal e Sicoob, eles entraram sem a necessidade de explosões. Ainda não há informações se conseguiram levar dinheiro.

O tenente da PM, Renan da Silva e Sá, explicou que diversos populares procuraram a corporação por meio do telefone pedindo socorro ainda durante a madrugada. “Informaram que pelo menos três veículos chegaram até a região onde ficam as agências na nossa cidade. Desembarcaram várias pessoas portando armas longas, provavelmente de grosso calibre, efetuaram alguns disparos e adentraram nas agências”, disse.

A ação teve duração de aproximadamente uma hora e a quadrilha conseguiu fugir do município. A polícia acredita que os envolvidos podem fazer parte de alguma organização criminosa especializada em ataques contra bancos. Quando as equipes da PM chegaram ao local, eles já tinham se evadido. Duas pessoas foram feitas reféns.

“No momento em que as equipes chegaram ao local, se apresentaram dois indivíduos que são entregadores de lanches e informaram que um pouco antes da ação foram abordados pelos criminosos e trazidos até a região. Foram forçados inclusive a contribuir com o roubo. Mas graças a Deus não se feriram”, explicou o tenente.

CN INSTITUCIONAL


Fonte: *Redação Cornélio Notícias, com informações da Tarobá News
SEMANA 01 Faccrei