Notícias

Suspeitos de explodirem bancos de Abatiá, Congonhinhas e Nova Fátima são presos


Brasil Net

A polícia diz que os dois homens são suspeitos de participarem dos atentados contra agências bancárias

Foto: Ilustrativa
Os acusados foram presos em Ribeirão do Pinhal

Dois homens foram presos em Ribeirão do Pinhal Ribeirão do Pinhal (56 Km de Cornélio Procópio), suspeitos de explodirem caixas eletrônicos para furtar agências bancárias na região, na segunda-feira (4). Os bancos, alvos dos criminosos, ficam em Abatiá, Congonhinhas e Nova Fátima.

Os furtos ocorreram no dia 27 e 31 de janeiro e na madrugada do 3 de fevereiros. Em Congonhinhas e Nova Fátima, as explosões ocorreram durante a madrugada e as agências ficaram destruídas.

A Polícia Militar chegou até os suspeitos após receber denúncias de que um grupo estava traficando drogas e planejando novos ataques contra bancos.

Após pararem um veículo onde estavam três pessoas, duas com passagens pela polícia por tráfico de drogas e posse ilegal de arma de fogo, a polícia foi até a casa de um deles e encontrou R$ 500 em moedas. Depois disso, uma mulher contou que seu companheiro tinha participado dos ataques contra as agências.

A polícia ainda identificou uma tatuagem no braço do outro suspeito, a mesma que foi vista, pelas câmeras de monitoramento, no braço de um homem que participou dos ataques.

Na mesma casa, a PM ainda encontrou 21 pinos de cocaína e uma jaqueta que também foi utilizada em um dos assaltos, a roupa foi registrada pelas imagens do circuito de monitoramento.

Ao verificar a documentação do carro e descobrir o endereço do proprietário, os policiais chegaram a outros dois homens, que têm passagens por estelionato e estão envolvidos nos atentados contra bancos. Eles também têm relação com os dois suspeitos presos pouco antes.

Os dois não foram localizados, mas a mãe e a irmã deles foram levadas à Delegacia da Polícia Civil por falsa comunicação de crime, porque anteriormente registraram o furto do carro que estava com os conhecidos.

Entre os presos, um deles tinha sido solto da cadeia de Ribeirão do Pinhal há pouco tempo.

As polícias Civil e Militar realizam buscas para encontrar os outros homens envolvidos nos crimes.

 

 

 


Fonte: *Redação Cornélio Notícias, com informações do G1 PR
Novidades Faccrei



Comente utilizando seu facebook