Notícias

Pai é preso suspeito de estuprar e engravidar filha, diz polícia


Homem também está sendo investigado pela suspeita de ter abusado sexualmente de outros dois filhos e uma adolescente

Foto: Polícia Civil/Divulgação
Ele foi detido na segunda-feira (9), em Califórnia, no norte do Paraná

A Polícia Civil de Apucarana, no norte do Paraná, prendeu na segunda-feira (9), em Califórnia, também no norte do estado, um homem de 38 anos suspeito de estuprar e engravidar uma filha. Ele também é suspeito de abusar sexualmente de outros dois filhos e uma adolescente, segundo a polícia.

O delegado-chefe da 17ª Subdivisão Policial (SDP) de Apucarana, José Aparecido Jacovós, explica que havia um mandado de prisão expedido contra o homem, que foi cumprido nesta segunda-feira.

Segundo ele, o suspeito tinha sido preso há seis meses por estupro de vulnerável, mas estava em liberdade após negar o crime.

A primeira denúncia, sobre a suspeita do estupro da filha, ocorreu em 2013. "Agora chegou o exame de DNA e foi comprovado o abuso, por isso houve a prisão", diz o delegado.

Jacovós conta que a menina tinha 13 anos quando engravidou. "Hoje, a criança está com três anos", afirma. Os abusos contra a filha, conforme o delegado, ocorreram dos 11 aos 13 anos.

Em depoimento, a jovem também contou à polícia que, na época, o pai também abusava de outra filha de 11 anos, de um filho de 12 anos e uma amiga da filha de 13 anos. O delegado afirma que outros três inquéritos foram instaurados para investigar os casos.

De acordo com Jacovós, a filha também relatou que era amarrava com cordas pelo pai. "Ela disse que ele a amarrava na cama, pendurava e também mordia. Além disso, a filha contou que o pai dava maconha para os filhos", diz.

Ainda segundo o delegado, o inquérito sobre a filha que engravidou está praticamente concluído e o homem responderá por estupro de vulnerável. Já os outros três inquéritos, conforme ele, estão sendo apurados pela Delegacia da Mulher de Apucarana.


Fonte: *Redação Cornélio Notícias, com informações do G1 PR, Maringá




Comente utilizando seu facebook