Notícias

Um grande balcão de negócios para Cornélio Procópio


Localizado na BR-369, o armazém foi cedido à UTFPR e deveria atender alunos de dois cursos de engenharia

Foto: Folha de Londrina
Para o prefeito Amin Hannouche, o local Procópio absorver uma série de empresas que querem ampliar seus negócios

As antigas instalações do extinto Instituto Brasileiro do Café (IBC) em Cornélio Procópio devem ser transformadas em um grande balcão de negócios. Cedido pelo governo federal à UTFPR (Universidade Tecnológica Federal do Paraná) há quatro anos, o espaço ainda não recebeu a função acadêmica prevista.  Um grupo de instituições e entidades decidiu, então, transformar o armazém de quase 20 mil metros quadrados em um grande condomínio tecnológico e comercial, o Armazém Tecnológico, como tem sido chamado.

Localizado na BR-369, no contorno de acesso à Leópolis e Sertaneja, o armazém foi cedido por um prazo de 20 anos à UTFPR local e deveria estar recebendo alunos de dois cursos: Engenharia Mecânica, já existente na grade da universidade, e Engenharia Civil, que seria criado. "Acredito que devido à situação econômica do País, por falta de recursos, o MEC ainda não aprovou esse projeto. Temos dois cursos recentes que já estão com déficit de professores. Imagine se podemos abrir um curso novo", conta o diretor de Relações Empresariais e Comunitárias da UTFPR, Felipe Haddad Manfio.

Segundo ele, o espaço é muito bom, mas também muito grande e exige reformas antes de qualquer tipo de ocupação. "Seriam necessários milhões de reais para estruturar o prédio. Nós não temos esses recursos hoje", argumenta.

Diante da falta de perspectiva em relação ao propósito inicial, a UTFPR se uniu ao Sebrae, Prefeitura de Cornélio Procópio, Uenp (Universidade Estadual do Norte do Paraná), Associação Comercial e Empresarial e Conselho de Desenvolvimento Econômico em busca de uma nova proposta para aquele espaço. Antes, será necessário alterar o contrato de cessão do prédio, que inicialmente tinha apenas propósitos acadêmicos. "Depois, vamos lançar um edital para receber sugestões sobre o que fazer com o prédio. Vai ser uma espécie de concurso de ideias", antecipou.

 

MODELO

Recentemente, esse grupo de lideranças esteve em Maringá para conhecer a destinação que aquela cidade deu às suas antigas instalações do IBC. Lá, o espaço passou a abrigar empresas de tecnologia de ponta, pequenas fábricas, um auditório para 600 pessoas, além do almoxarifado central da Prefeitura.

Para o prefeito Amin Hannouche, o modelo maringaense pode ser copiado em Cornélio Procópio e absorver uma série de empresas que querem ampliar seus negócios e não encontram local adequado. "Só o almoxarifado central da prefeitura de Maringá, instalado no antigo prédio do IBC, foi suficiente para observarmos a capacidade de aproveitamento que o prédio em Cornélio Procópio com este mesmo modelo de ocupação pode ter", afirmou. Segundo Hannouche, o deputado federal Alex Canziani, que também participou da visita, vai intermediar a inclusão desse novo projeto ao contrato de cessão do armazém da UTFPR com a União.

 

INOVAÇÃO

De acordo o consultor do Sebrae/PR em Cornélio Procópio, Diego Shiinoki, o Centro de Inovação criado no armazém maringaense é uma iniciativa a ser copiada. "Eles têm lá um conjunto de empresas incubadas, um espaço colaborativo, com aluguel acessível e o pré-requisito é ter base tecnológica", explica. Segundo ele, o cunho tecnológico desse projeto procopense não pode se perder. "O ponto crítico é a base tecnológica, a abertura para a inovação. Se vai ser por meio de incubadoras, start-ups, não importa muito", ressalta.


Fonte: *Redação Cornélio Notícias, com reportagem de Juliana Gonçalves para a Folha de Londrina




Comente utilizando seu facebook